sábado, novembro 11, 2006

Democracia patriótica


Saudamos o Portugal Atlântico
E ficam aqui excertos da causa:
(...)
Vamos iniciar hoje uma reflexão sobre o porquê de Portugal o porquê da República ou Monarquia como Regime verdadeiramente Nacional, e o porquê da defesa de causas no contexto actual de extrema infecundidade do pensamento político nacional quando enquadrado nos espaçosos ‘movimentos políticos’ que Portugal hoje (des)conhece, também designados como Partidos com assento parlamentar.
(...)
Portugal vive na sombra de anos de ditadura, porventura menos severa e fecunda em privações de liberdade que muitas outras pela Europa fora, o que aliás, talvez explique em parte o porquê da sua longevidade.
Essa sombra obscurece a noção de amor pela Pátria, apaga o orgulho luso no que é seu e favorece apenas manifestações inócuas de folclore verde e vermelho em umas poucas ocasiões.
(...)
A apropriação do nacionalismo pela direita radical é um facto, mas é um facto também que a repulsa pelo nacionalismo, ou patriotismo se se preferir pelos partidos do ‘centro’, é uma prova da sua ineficácia enquanto garantes da nossa governação e guardiões dos nossos interesses colectivos.

Podemos fazer uma distinção entre Patriotismo e Nacionalismo restringindo-se no primeiro o amor aos símbolos e de certa forma à cultura e no segundo a uma defesa mais acérrima de uma identidade e de uma certa noção de superioridade, nomeadamente através da valorização dos interesses nacionais sobre os dos restantes. Agora como pode alguém amar sem defender e valorizar o que ama? Como pode alguém amar um país sem querer o que é melhor para ele e para os seus cidadãos?

O Patriotismo pode assim ser considerado como a mãe do Nacionalismo sendo este a manifestação no campo visível e das acções do sentimento alimentado pelo amor à Pátria.
(...)

Podemos pois arriscar concluir que a Independência é o resultado directo do exercício da Soberania por um Estado em um tempo e espaço definido.

1 comentário:

al cardoso disse...

Creio que se esta cada vez mais a manifestar um maior patriotismo-nacionalista, em minha humilde opiniao, nao ha nada como a monarquia para poder afirmar os valores patrioticos.
No entanto tudo quanto queiram fazer para considerar-nos superiores a outros povos, e politica erradissima, nos nao somos superiores nem inferiores, somos "Portugueses" com virtudes e defeitos.

Viva o Portugal minha Patria amada.