quinta-feira, dezembro 21, 2006

Com permissão de Sua Majestade....e quando os 007 eram galegos


O contributo da Maçonaria portuguesa e internacional para a concretização do projecto da República em 5 de Outubro de 1910 foi assinalado pelo livro «Com permissão de Sua Majestade, Família Real inglesa e Maçonaria na instauração da República em Portugal», da autoria de Jorge Morais, lançado em 31 de Janeiro de 2006 no Museu da República e da Resistência e apresetado por António Reis, Grão-Mestre do Grande Oriente Lusitano, e pelo jornalista e investigador António Valdemar.

A Família Real britânica e a Maçonaria inglesa colaboraram activamente na implantação da República em Portugal, em 1910. Estas são duas das mais surpreendentes conclusões a que chegou o jornalista e investigador português Jorge Morais e que estão na base da edição do livro “Com permissão de Sua Majestade”.

Segundo o autor deste aturado e minucioso trabalho de investigação agora dado à estampa, não foi apenas a revolta militar comandada por Machado dos Santos, na Rotunda do Marquês de Pombal, apoiada pelas células carbonárias de Lisboa, que sustentaram a revolta. Para Jorge Morais, o envolvimento da Família Real britânica e a Maçonaria inglesa, agregados sob a égide de uma vasta conspiração internacional, acabaram por se revelar determinantes.

Com efeito, ao garantirem, da parte dos ingleses, o compromisso de que não levantariam um dedo para defender a Monarquia lusa os revoltosos não hesitaram em avançar e em lograr o êxito que sempre lhes havia escapado nas últimas décadas.

Os interesses internacionais, centrados no futuro da África portuguesa, e os contactos de alto nível mantidos por dignitários maçons com homens de negócios e jornalistas influentes constituíram a mola real para um golpe a que o próprio rei Jorge V e seu tio, Duque de Connaught (Grão-Mestre da maçonaria inglesa) deram o sinal verde - a Dinastia de Bragança tinha os dias contados e os republicanos tomavam o poder.

Valendo-se de uma infindável e poderosa teia de conhecimentos e cumplicidades, o Grão-Mestre do Grande Oriente Lusitano da altura, Sebastião de Magalhães Lima, urdiu entre Lisboa e Londres o projecto da revolta republicana que mereceu das autoridades inglesas uma sintomática “neutralidade compreensiva”.

Esta posição, expressa por escrito num memorandum a que Jorge Morais teve acesso e que traz à luz dos dias nesta obra, é a pedra de toque para as forças republicanas tocarem a reunir e lançarem-se confiadamente no processo revolucionário.

“Com permissão de Sua Majestade”, que tem a chancela da editora “Via Occidentalis”, é distribuído pela Bertrand e foi escrito por um dos mais credenciados jornalistas portugueses, traça com rigor, clareza e brilho o quadro político, nacional e internacional, em que decorreu a conspiração; comprova a ligação dos principais intervenientes à Maçonaria e ao lóbi radical europeu; e transcreve correspondência até hoje mantida em segredo nos arquivos de Lisboa e Londres.

35 comentários:

Anónimo disse...

Pode ser verdade...mas os braganças acobardaram-se o D. Afonso foi o primeiro a fugir. O dever do Rei era defender a coroa com os seus apoiantes em vez disso fugiu, atitude a que não terá sido alheia a sua mãe Dona Amélia uma pessoa das mais nefastas da história do fim da monarquia

Uma das causas disse...

Já a Mãe de D. Afonso Henriques foi muito mais nefasta!

D. João IV disse...

A Senhora D. Luísa de Gusmão, essa sim é que foi auspiciosa!!!

D. João IV disse...

Por falar em nefasto... e a minha Carlota Joaquina, que me dava arsénio todos os dias?...

D. João IV disse...

Ó primo, queria dizer era Sexto, queria dizer era Sexto!

D. João VI disse...

Correcto e afirmativo, primo. O nosso primo V é que teve sorte... Foi ouvir concertos de carrilhão para Mafra!!!...

D. João V disse...

Oh! Mas era no Convento de Odivelas que até ouvia sinos tocar, pois a minha arquiduquesa D. Maria Ana de Áustria passava a vida a ouvir órgão na missa de Mafra...

Afonso Henriques disse...

Não percebo porque é que dizem que a minha mãe foi nefasta. Se ela fosse uma pessoa fácil eu se calhar tinha ficado muito sossegadinho e nem sequer havia Portugal! Não me digam que anda por aí alguém que não goste da minha obra?

um amigo do sampaios disse...

Eh Lá ....! ISto está muito activo. Como não se identificam, presumo que sejam a dr. Vera Ritta de Sampaio, nomeada adjunta do Ministro do MAI e que ganha 45000 euros por Mês e o dr. Sampaio Júnior que é consultor da POrtugal Telecom com mais de 5000 euros mês. Com vencimentos desses os fidalgos da república devem ter tempo livre para os posts idiotas.

Afonso Henriques disse...

Então, então! querem que eu devolva tudo ao meu primo? Tratem lá de se entender, que ainda por cima é Natal. E deixe lá esses coitados, se calhar não sabiam fazer nada na vida, tiveram que ser ajudados senão parecia mal. No meu tempo também havia uns assim.

Um amigo dos Sampaios disse...

Ora, ora Afonso Henriques...! Agora quanto ao conteúdo do post o que interessa é o dilema monarquia republica ter ficado secundário perante os interesses de Sua majestdade britÂnica. Isto explica aos monárquicos que se deixem de dizer que as Coroas são todas boas; viu.se ; E aos republicanos que se deixem de patetices À Vital Moreira. Até foram pedir licença ao rei de Inglaterra !

lusitano79 disse...

Muito curioso de facto, os "grandes republicanos portugueses" terem que ir pedir licença a Sua Majestade Britânica... - Não será um tanto contraditório ?

Cináed mac Ailpín, rei dos Pictos disse...

Do lado da coroa inglesa não se podia esperar nada de bom. Basta ver o que fizeram ao meu país!
E ao vosso, que com a desculpa de darem uma ajuda andaram foi a pilhar igrejas.

Afonso Henriques disse...

Claro que não é contraditório. Só no meu tempo é que não se pedia ajuda a ninguém. Depois habituaram-se a pedir ajuda aos ingleses. E aquilo não foi um pedido de ajuda, foi mesmo um pedido de autorização!

Um amigo dos Sampaios disse...

Entao agora, das umas. ou estamos condenados a isso e o melhor é arrumar as botas e deixar que um BOTAS nos arrume ou pÔr mãos à obra e ver se podemos sair da ingleso-dependência. Que acha Afonso henriques?

Cináed mac Ailpín, rei dos Pictos disse...

Se é para correr com os ingleses vamos a isso! Jovem Afonso tens a minha ajuda, já estou a arregaçar as mangas. Mas ajudam-me também a correr com eles do meu país.

Afonso Henriques disse...

Caro Cináed I, muito me honra poder combater ao lado de Vossa Alteza. Já na terra do meu pai não gostavam nada desses tais de ingleses. Depois ainda vieram uns dar-me uma ajuda a conquistar Lisboa. Claro que era para ver se eu os ajudava lá com as guerras santas, mas francamente eu tinha mais que fazer. Agora diga-me uma coisa D.Cináed, quem são estes sampaios e amigos dos sampaios? eu dos D. João(s) já tinha ouvido falar apesar de já não serem da minha família. Agora estes sampaios, acha que são gente de confiança?

Anónimo disse...

vindo de onde vêm, não me parece... parece que são amigos de um tal que já foi presidente da república... veja-se só!

Afonso Henriques disse...

Isto está a ficar um bocado confuso. Um amigo de um senhor que foi presidente quer acabar com a república. Outro que pelo nome que tem claramente é dos ingleses vem-nos avisar que o primeiro não é de confiança. Isto ainda é pior do que quando eu fazia acordos a fingir com o meu primo só para ele me deixar sossegado durante uns tempos.

Anónimo disse...

O contubernio de Londres ?

Anónimo disse...

Carrascos ruivos do Tamisa (Fialho de Almeida)

Anónimo disse...

Parentes de Drake ?

Afonso Henriques disse...

Fomos outra vez invadidos! E pelos ingleses! Ainda por cima têm todos o mesmo nome. Anonymous quer dizer filho de Anonym? Estive a tentar ver se conhecia esse mas acho que não é do meu tempo

Um inimigo dos amigos de Peniche disse...

Estes posts estão bué confusos. Caramba. O que eu acho é que é o lusitano79 tem razão e o "amigo" dos sampaios, q'afinal, é um grande amigo da onça. Os republicanios devem ter o moral em baixo. Afinal nem o 5 de Outubro fizera, Tiveram de pedir licença aos angreses. Agora queria me explicassem os 007 eram galegos...

MCH disse...

Para responder ao post anterior, há informações que, na Rotunda no dia 5 de Outubro, havia entre 60 a 70 galegos, acarretadores de água e de recados, arregimentados para a Revolução pela Carbonária. Para eles e para Machado Santos, foi uma honra. Para os oficiais do Exército e os políticos que nem lá estavam, "no comments"!.

Afonso Henriques disse...

Agora é que eu não percebo mesmo nada. Vou-me retirar para passar a quadra, se precisarem de ajuda para correr com ingleses e outros quejandos é favor dizer.

Anónimo disse...

A pérfida Albion. O costume.

Cináed mac Ailpín, rei dos pictos disse...

Agradeço que não misturem os pérfidos ingleses com os nobres pictos, celtas e escoceses. É que até o nome Albion aqueles malandros nos conseguiram usurpar.

Cináed mac Ailpín, rei dos pictos disse...

Com a ajuda dos romanos claro, a malandragem junta-se sempre.

uafinal o inimigo dos sampaios disse...

É xó para ser trinta comentáriox qué um ganda número. Agora confunde-me . É que nox, xomox xeltas, também como os xenhores galexex. Então será-nox permitido xer contra Albion? Xó me lembra o ganda nóia...

Cináed mac Ailpín, rei dos pictos disse...

Para informação deste senhor que fala com um sotaque estranho, Albion começou por ser o nome da Grã-Bretanha "Alouion" ou do meu país, a grande Escócia (Alba, em celta). Depois, os senhores romanos começaram a chamar Albion à Inglaterra, por causa dos white cliffs of Dover a que chamavam albus (de branco). Os ingleses está claro, como nessa altura ainda não tinham conseguido tomar conta do nosso país, nem os romanos de resto, aproveitaram-se logo da coisa. Perfidamente!

M disse...

DIGAM-ME POR FAVOR MEUS SENHORES QUAL A FÓRMULA E POÇÃO QUE FINALMENTE FARÁ OS PORTUGUESES (ISTO É PARA COMEÇAR NÓS JÁ OS QUE ESTAMOS AQUI, NÃO 'ELES', SABEREM O QUE HÃO-DE FAZER E FAZER ALGUMA COISA, em vez de estarmos eternamente à espera que os outros o façam?

Anónimo disse...

DIGAM-ME POR FAVOR MEUS SENHORES QUAL A FÓRMULA E POÇÃO QUE FINALMENTE FARÁ OS PORTUGUESES (ISTO É PARA COMEÇAR NÓS JÁ OS QUE ESTAMOS AQUI, NÃO 'ELES', SABEREM O QUE HÃO-DE FAZER E FAZER ALGUMA COISA, em vez de estarmos eternamente à espera que os outros o façam?

Treta de rei disse...

Agora o mais giro é que afinal Duarte Pio não passa de um troca tintas a enganar os portugueses, o chamado rei dos croquetes tem uma folha de serviço muito suja de mentiras www.reifazdeconta.com

Anónimo disse...

Conturbernio de Londres?