sexta-feira, janeiro 26, 2007

Moment of Silence», visualizável AQUI)
"A livre comunicação dos pensamentos é um dos mais preciosos direitos do homem". (artigo VIII da Constituição Portuguesa de 1822)

21 comentários:

Sailor Girl disse...

Como já se aperceberam, até neste blogue (mas sobretudo noutros) há quem não consiga comunicar livremente os pensamentos sem ser violentamente atacado ou achincalhado ou gozado ou até mesmo censurado.

Na vida em geral, não conseguimos comunicar livremente os nossos pensamentos. Somos de imediato gozados, ou reprovados, ou discriminados, ou afastados, ou etiquetados.

Pior. Não conseguimos sequer COMUNICAR. Passo fundamental para a tão esperada entrada no Quinto Império.

E assim se passam os dias.

Pessoalmente, sinto-me coarctada no meu direito de livremente comunicar os meus pensamentos. E toda eu sou pensamentos. Mesmo a dormir. Apesar da emotividade me servir de escape a alguns pensamentos, mas nem sempre é possível associar essa emoção a um pensamento específico.

Mas há que dar dinheiro aos médicos e aos advogados, obrigados ao dever de sigilo, não é verdade?

Gostava de ouvir os vossos comentários.

garina do mar disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sailor Girl disse...

Ainda bem que apagaste o comentário... Não gosto que digam mal do Atlântico Azul.

o público disse...

Adoro estas pessoas para quem a vida é um palco. Para quem só o que parece é. Para quem só o que passa cá para fora é que interessa. Contam coisas, inventam, como se da realidade se tratasse. Imaginam as coisas de tal maneira que o que imaginam se torna realidade.
Aquilo que querem é uma verdade absoluta. Todos os outros têm que querer o mesmo. gostar do mesmo, sentir o mesmo. É maravilhoso estar rodeado de pessoas assim. Nem imaginam o que se poupa por não pagar um bilhete de teatro. Não é preciso. Basta estar atento.

mch disse...

O comentário de "o público" é muito pessoal e revela o chamado bon diseur, ou diseuese, que se satisfaz com uma piada de salão, porque no fundo já não acredita em nada, sobretudo nele próprio(a). Fala de "Verdade absoluta" ? Eu julgava que todas as verdades eram absolutas, desde a matemática, às contas do minipreço, ou ao esforço dos poetas para corrigir os seus versos. O "público" achará que há verdades absolutas e...relativas.. No fundo é dos que se submete à lei do mais forte...

Pink disse...

Caro MCH
2 e 2 nem sempre são 4.
E o mundo não é ou preto ou branco. Pelo meio existem os cinzentos. E até outras cores. Parece que há quem ainda não tenha percebido isso.

Anónimo disse...

Pois eu sei diso, cara Pink: No Continente até era 1+1 = 3 mas não deixa de ser uma verdade publicitária. O que eu acho é que os sonhos e as objectivos missionários têm toda a razão de ser e que essas realidades têm o seu peso "espiritual" diferente do peso das realdiades "materiais". Então isto não é evidente,, Pink?

pink disse...

Claro que sim caro anonymous. O drama é quando a "realidade" se transforma em peça de teatro. Quando sonhos e objectivos nem são espirituais nem são reais. Não se traduzem em nada. São apenas para quem está na plateia.

pink disse...

E não será um preconceito assumir que pink é um substantivo feminimo?

Anónimo disse...

Caro Pink
A conversa está um bocado redonda.
Um bocadinho Inspector Clouseau e pantera cor de rosa. He he...
Eu gostei muito do post da sailor girl e pronto; não vejo nele qualquer subentendido de teatro
Não vejo mesmo teatro nenhum em afirmar a liberdade de pensamento depois do post do Abbe Pierre que apenas dois jornnais portuguese noticiaram afugir. Aqui os jornais que está o problema da falta de substancia espiritual e teatrialização dos eventos.

Laurus nobilis disse...

Gosto demasiado deste blog para não escrever algo sobre as verdades absolutas. Caro MCH, foi por haver demasiadas verdades absolutas que se fizeram os piores crimes da história da humanidade... sobretudo, quando o povo também é levado a acreditar que, as verdades, são absolutas. Normalmente, é meio caminho para a pior das intolerâncias. Lembro o "post" que têm do lado direito do vosso blog: "eu não falei"; se calhar, ninguém falou porque a verdade era absoluta... lembrem-se do que aconteceu na Alemanha após o partido nacional socialista ter ganho as eleições... havia uma verdade mais que absoluta, comum à maioria do povo alemão e que se traduzia pura e simplesmente numa frase: "juden raus".

LL disse...

Tiremos as máscaras... mas não rejeitemos o Leviatã... senão corremos o perigo de apenas podermos apelar para os céus. Reconhecidamente autênticos mas em comunidade, caso contrário, o homem será sempre o lobo do homem.
Quanto às verdades, importa não esquecer que valem, que têm valor, e, se são Verdades, valem absolutamente. Qualquer coisa menos do que isto é manifestação de relativismo moral conducente a um individualismo egocêntrico e, como consequência inevitável, à perda de liberdade.

garina do mar disse...

que grande confusão que para aqui vai!!
eu apaguei o comentário que escrevi esta tarde porque achei que as outras pessoas deste blog não tinham nada a ver com o assunto..
mas confesso que acho extraordinário que uma pessoa que censura (apaga) comentários apenas porque são contrários aquilo que pensa, por acaso no único blog que conheço onde isso acontece venha depois falar em comunicar livremente os seus pensamentos!!!
liberdade de pensamento significa eu digo o que acho e mais ninguém pode dizer nada a seguir? não sabia...

mch disse...

Obrigado LAurus nobilis por advertir contra a deriva fundamentalista das verdades absolutas. Tem razão nisso e o Causas combate isso. O ponto é se tem toda a razão... Pois nas democracias actuais não existe também um sistema de perversão da verdade que tem que ser combatido? Existe uma frase luminosa e irónica de Eric Voegelin que diz: "Antes, tínhamos a Inquisição; agora temos a imprensa." Por detrás desta boutade está a ideia que a Inquisição, Censura e aparelhos repressivos policiais proibem determinado tipo de respostas. Mas a comunicação social, proibe determinado tipo de questionamento porque faz tanto barulho com parvoíces que não deixa espaço pAra as verdadeiras questões. então, força à liberdade de pensamento

garina do mar disse...

a comunicação social faz bem pior até... já vi muitas vezes "orientarem" as respostas quando as coisas são em directo e truncá-las quando não o são... como é que a seguir se explica que "não foi bem (ou de todo) aquilo que eu disse"?

mch disse...

Claro. não sei o que me deu. MAs concordo sempre com o que diz garina!

garina do mar disse...

é melhor não!! ;)

s.o.s. disse...

informação é o que há num blog.
não há comunicação.
para haver comunicação é preciso que o mensageiro esteja presente.
desde o telegrafo que existe esta habilidade de separar informação de comunicação.
e milagre...no teatro há comunicação. mas quem vai ao teatro?
o que a Sailor Girl diz é sobre comunicação ... não é sobre aquela coisa tonta da conunicação social sobre que se diz...fulano de tal teve muita coragem disse isto ou aquilo na televisão...coragem só acontece quando o outro está lá na frente...o resto é informação e na maior parte das vezes revela cobardia...escreve-se no blog...dno jornal, diz-se na rádio o que nunca diriam se estivessem presencialmente...porque aí é comunicar e é outro patamar de exigência...e hoje porque há tanta informação e nenhuma comunicação a Sailor Girl tem razão...escrever um email não é comunicar...e por isso é tão dificil hoje comunicar

mch disse...

"Nos jornais, as únicas boas notícias são os anúncios"
MArshall McLuhan
Umas das minhas frases preferidas...
Sabiam que o McLuhan era um epecialista de literatura e poesia simbolista inglesa e deixou-se disso porque achva que a poesia degenerara em comunicação e passou a analisar a Galáxia Gutenberg?
Ainda não temos o guru da galáxia internet. este é um bom exercicio sobre a expressão na net

escorpiaotenhoso disse...

Pensar e exercer as liberdades que possam estar associadas a esse exercício é uma actividade vital, essencial à dignidade e inteligência tanto no plano individual como colectivo. E um instrumento básico contra a intolerância...

ET

TÁGIDE DA PERNA DE PAU disse...

Depois de ler todos os comentários anteriores aqui publicados à volta da "LIVRE COMUNICAÇÃO DOS PENSAMENTOS" sinto-me garinada, quero dizer, confusa... Qual é afinal o problema que este valor absoluto da nossa forma de pensar e propagar as nossas verdades levanta?

TÁGIDE