domingo, fevereiro 18, 2007

3º Encontro-Debate do Blogue das Causas

(Foto de Luís Miguel Correia: BLOGUE dos NAVIOS e do MAR)

Teve lugar no passado dia 16 em Lisboa o 3º Encontro-Debate do Blogue das Causas. Tivemos a honra de ter como orador o Comandante Orlando Temes de Oliveira que fez uma intervenção subordinada ao tema "Estratégia Nacional para o Mar". Aqui fica um brevíssimo resumo para aqueles que não puderam estar presentes.

O diagnóstico: não há em Portugal uma cultura virada para o Mar e isto reflecte-se na desagregação e decadência da utilização de todos os recursos que o Mar nos oferece, sejam eles a pesca, o turismo ou o comércio marítimo.

Portugal, como nos apontou o Cmdt. Temes de Oliveira, está no centro da linha costeira europeia (tendo como ponto de partida a Escandinávia e de chegada a Turquia). Não há assim razão para que Portugal não aproveite esta situação estratégica vantajosa, de ser o ponto mais ocidental da Europa e ao mesmo tempo central, para explorar as imensas actividades que o Mar oferece.

As agravantes deste estado de coisas são a inexistência de uma articulação entre os órgãos governamentais que, por exemplo, recolhem informações, e aqueles que poderiam fazer uso dessas mesmas informações (marinha mercante, etc...). O resultado é que há cada vez mais forças estrangeiras a tirar partido dos nossos recursos, enquanto Portugal observa passivamente.

Temes de Oliveira sugere, entre outras medidas, que haja uma tutela governamental dedicada ao Mar em todos os seus aspectos e que dependa directamente de um Ministro de Estado ou Primeiro Ministro, para que não haja o risco de desarticulação entre vários ministérios, o que só seria prejudicial. Outra medida positiva seria a introdução dos desportos náuticos ao nível escolar, para que os jovens tomem contacto com o Mar de maneira a que se crie, efectivamente, uma cultura marítima desde tenra idade.

E porque não, tomando partido da posição geográfica da costa Portuguesa e do capital humano disponível, conciliar esforços entre escolas navais, civis e militares, para criar uma sinergia que possibilite a educação de marinheiros, não só a nível nacional, mas também a nível europeu.

Finalmente foi levantada a questão por um dos presentes que a Constituição Europeia, tal como está, remete para as instâncias da Comissão a gestão dos recursos biológicos marítimos. Portugal, a ser reavivado e aprovado este projecto constitucional, não pode de modo algum renunciar a estes recursos.

4 comentários:

Sailor Girl disse...

Mais uma vez Parabéns, Leonardo, pela excelente síntese de mais um jantar.

(entretanto, vão ver as fotografias e o slideshow que coloquei hoje no Atlântico Azul, referentes à Nauticampo)

s.o.s. disse...

entaao e ninguem se lembra na nossa universalidade ... da causa do ano do porco? ... eu fui ate ao Atlanticoazul e ha la a fantastica reportagem da nauticampo com o talento, a sensibilidade e a qualidade da Sailor Girl mas depois e so caes e gatos que sao agora a grande paixao dos amores novissimos deste inverno da Sailor Girl para alem de postais antigos de barcos ja afundados de preferencia...claro estaa...e entaao o porco emergente: a China ... ninguem defende a causa da matanca a portuguesa?...bom carnaval!!!que carne so se come ate amanha!! depois quarta feira...bom carnaval!!!!

David Garcia disse...

Adorei o texto do meu caro amigo Leonardo e efectivamente tive muita pena em não poder comparecer. Mas estou ensiasmado com as ideias emergentes.

Abraço Real,
David Garcia

LUIS MIGUEL CORREIA disse...

Vale sempre a pena rebater as causas do MAR, as causas do nosso desalento marítimo actual... E é mais do que alçtura para recarregarmos todos os ideais marítimos e começarmos a reescrever novas páginas marítimas...

LMC