terça-feira, março 20, 2007

DESCOBRIRAM-NOS!


Artigo de JAS no Sol de 17/03/07

Cavaco na encruzilhada

(...)
Em minha opinião, o Presidente da República deveria ter ‘causas’.
Deveria tomar em mãos três ou quatro questões ‘nobres’, contribuindo com o peso do cargo para a sua resolução.
Essas ‘causas’ terão de ser transversais, ou seja, deverão atravessar toda a sociedade, por forma a não poderem ser partidarizadas.
Pelo país inteiro há associações culturais formadas por voluntários que suspiram por tarefas com alguma dimensão a que se dedicar.
Ora, reunindo essas associações, aliciando mecenas (bancos, empresas, empresários, fundações), convocando os organismos do Estado com competências na matéria, o chefe do Estado pode lançar um grande movimento de regeneração do património nacional.
E o que se diz para o património pode dizer-se para a luta contra a droga ou contra a sida, para a reintegração na sociedade de ex-reclusos ou para a protecção de crianças vítimas de maus tratos.
Aliás, com os seus programas para a ‘inclusão’, Cavaco iniciou este caminho.
Mas as ‘causas’ têm de ter outra amplitude, outra dimensão e outro impacto mediático.
Têm de mobilizar e entusiasmar o país.
E isso supõe um envolvimento acrescido do Presidente da República.

(...)
Assumindo ‘causas’, mobilizando a sociedade para tarefas concretas, o Presidente engrandecer-se-á.
Pelo contrário, ficando prisioneiro do formalismo do cargo, pode chegar ao fim dos dez anos sem ter feito praticamente nada.
Cavaco, no fim do primeiro ano de mandato, foi elogiado por todos.
Eu sou menos encomiástico: penso que está numa encruzilhada.
Ou agarra um ‘papel’ onde se afirme pela positiva – ou tornar-se-á uma ‘rainha de Inglaterra’, a quem todos farão vénias mas que não deixará nenhuma marca para a História.

7 comentários:

Margarina del Mar disse...

Non percàn lo nuevo post en las Pilhas Náuticas!

http://pilasnauticas.blogspot.com/2007/03/curioza-la-conchita.html

Abrazos fuertes!

garina do mar disse...

eu convidava o senhor para aderir ao "Causas"!! havia uma que eu achava que ele teria dificuldade em "abraçar" mas, pelo que diz no fim o JAS, nunca se sabe...

mch disse...

Como mostra a Helen Mirren no filme, a rainha Isabel faz mais que corta fitas Mostra ao 1º ministro que há sempre uma segunda opinião

Anónimo disse...

Não percebo o post do pilhas nauticas. Que chinesice.....! Não sei que faz aqui esse comentário...

Leonardo de Melo Gonçalves disse...

Se até uma "Rainha de Inglaterra" tem esta possibilidade, é de esperar que um "Rei de Portugal" possa fazer ainda melhor.

Sobre isto da "fiscalização" dos governos: Desocracia, no Ser Tradicional.

Laurus nobilis disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Laurus nobilis disse...

Quando o Chefe de Estado é eleito, não me parece que possa ter grande independência para assumir causas; quanto a opiniões... espero que as tenha!